Panorama de desenvolvimento de UX nas empresas privadas de Maceió

Nesse trabalho foi desenvolvida uma pesquisa sobre as práticas de UX mais usadas nas empresas do mercado privado de Maceió em comparação com as práticas mais citadas na literatura. O resultado da pesquisa trouxe sugestões de melhorias para o mercado local e para a academia. 

Autores:

Georgia Demas M. Spinillo Bezerra

Jorge Henrique de S. Rocha

Orientador:

Augusto César Melo de Oliveira

Instituição:

Instituto Federal de Alagoas

Bacharelado de Sistemas de Informações

Resumo

A terceirização de sistemas de informação é uma prática utilizada mundialmente. No Brasil, setores como o industrial e o bancário são popularmente conhecidos por transferir para terceiros algumas atividades específicas de informática. O serviço público tem seguido a tendência da iniciativa privada e lançado mão da terceirização em busca de melhorar a qualidade dos seus serviços, ter acesso à expertise, acompanhar o avanço tecnológico, entre outros aspectos. Estudos científicos sobre a terceirização de sistemas de informação no setor público são escassos na literatura, o que consiste em uma lacuna a ser explorada. O objetivo deste trabalho é confrontar as visões dos órgãos públicos contratantes e das empresas que prestam serviços de Tecnologia da Informação (TI) com base nos fatores motivadores, riscos e benefícios da terceirização de sistemas de informação no setor público. Este estudo trata-se de uma pesquisa quantitativa, que utiliza o método survey, cujos dados foram coletados através de dois questionários com perguntas fechadas, aplicados a 29 órgãos públicos do estado de Alagoas e a 15 empresas fornecedoras dos serviços de TI. Os resultados obtidos indicam que, ao comparar as visões de clientes e prestadores,  algumas divergências podem ser destacadas, como por exemplo em relação ao fator motivador redução de custos. Entretanto, ambos concordam que a escassez de recursos internos, tanto humanos como tecnológicos, é um fator-chave para o serviço público recorrer a um fornecedor externo. Para as organizações públicas, a dependência excessiva dos fornecedores se mostrou o fator de risco mais preocupante. Já para os fornecedores, a ameaça mais enfatizada foi quanto às pressões políticas.